Artigo

Puxões na guia da coleira: conheça os perigos

Aposto que muitos de vocês já ouviram ou leram por aí que é “bom” e “normal” corrigir seu cão com um puxão na guia toda vez que ele apresentar um comportamento inadequado. Por exemplo, puxar a guia quando ele latir, puxar a guia quando ele andar na sua frente, puxar a guia quando ele está agitado ou até mesmo para ele sentar durante um passeio. Algumas pessoas fazem tanto isso que nem percebem que estão dando trancos na guia, simplesmente fazem porque já virou algo automático.

Quando puxamos a guia e damos o famoso “tranco”, o cachorro pode até parar de ter aquele determinado comportamento naquele exato momento (porém em alguns casos o comportamento pode até piorar, como com cães reativos, por exemplo). E, assim, você pode até pensar que esse método está funcionando e continuar fazendo isso. Mas será mesmo que está funcionando? Esses puxões ou trancos na guia estão resolvendo o problema de forma definitiva?

passear-com-coleira

Trancos e puxões na guia – por que devemos evitar?

Pense na seguinte situação: você e seu cão estão passeando, um pedaço de comida está no chão, seu cão tenta pegar e você dá um puxão forte na guia para corrigi-lo. Na próxima vez que vocês forem passear e tiver algo no chão, você vai precisar dar alguns puxões na guia para ele não abocanhar algo? Se a resposta for sim, você concorda que esse método não está sendo eficaz e que você não está ensinando nada para seu cachorro, além de ter medo da dor provocada pelo tranco? E quando outra pessoa for passear com seu cão? Uma criança ou alguém que não consiga dar os puxões na guia para “corrigir” o cachorro?
Ou então imagine uma situação em que seu cão esteja solto em algum parque para cães. Imaginou? Será que sem a guia ele não vai sair pegando tudo pelo chão? Posso apostar que sim!

Quando damos trancos na guia, podemos diminuir o comportamento naquele exato momento, mas não conseguimos corrigir o problema. Logo, na próxima vez ou sem a sua presença, o comportamento poderá se repetir. É claro que se o seu cão for pegar um pedaço de comida que está no chão enquanto vocês passeiam, você precisa evitar. Puxando a guia você vai impedir que ele pegue algo que possa prejudicar a sua saúde. Mas coloque na sua cabeça que esses trancos na guia não vão resolver o problema.
“Mas e se meu cão late para outros cães? Vi em um programa de televisão que devemos dar alguns puxões na guia!”. E eu te respondo com outra pergunta: porque seu cão está latindo para outro cão? Ele está ansioso? Está desconfortável, com medo da presença do outro cão e late para afastá-lo?

Tente enxergar o ponto de vista do seu cão. Você está em um lugar onde não gostaria de estar, com pessoas que não gostaria que estivessem ali e, por fim, super incomodado. Para piorar a situação, alguém chega em você e te belisca, empurra e fica bravo com você por você não estar à vontade. Com certeza isso não vai te ajudar a ficar melhor.

No caso do puxão na guia o cão só para de latir porque aquilo causou um desconforto/dor. Mas o estado emocional dele continua o mesmo! Ele continua incomodado com a situação e com os cães perto dele. O que acontece, na maioria dos casos, é que o cachorro associa que na presença de outros cães ele vai receber trancos na guia. Com isso, ele fica mais ansioso, mais incomodado e late para afastar o outro cachorro e não receber mais trancos na guia, mas recebe outro puxão porque latiu de novo e isso não tem fim. Ou o fim é o proprietário desistir de sair com esse cachorro na rua.

cachorro-sentado-de-coleira

Puxões na guia e as lesões físicas

Os trancos na guia podem, talvez, não causar lesões imediatas, mas a longo prazo, com certeza as lesões irão aparecer. Se você já teve dor no pescoço ou nas costas, você sabe como isso é ruim. Muitas pessoas sentem essas dores crônicas por anos ou décadas. Imagine seu cão sentindo essas dores.

A coluna é uma das regiões mais importantes do corpo de qualquer ser vivo. Na coluna existem diversos nervos responsáveis pelo funcionamento dos órgãos, movimentos e sensibilidade tátil. Lesões nessas regiões não são nada bem-vindas, principalmente se forem causados por trancos na guia.

O pescoço é uma região com várias estruturas nobres e importantes para a nossa vida, como a traqueia, esôfago, nervos, coluna cervical, diversas glândulas, linfonodos, veias e artérias. Pare e raciocine… Não parece muito inteligente ficar causando lesões nessa região, concorda?

Imagine a glândula tireoide, que está localizada lateralmente sobre a traqueia e abaixo da laringe, sendo lesionada todos os dias, várias vezes ao dia. Segundo o Dr Peter Dobias, os puxões na guia podem ser uma possível causa para o Hipotireoidismo. As lesões na glândula tireoide, causadas pelos puxões na guia, geram uma inflamação e consequente destruição, pelo próprio sistema imune que tenta remover essas células da tireoide que estão inflamadas, da parte funcional da glândula. Essa destruição das células da tireoide levam a um déficit do hormônio da tireoide, ou seja, Hipotireoidismo.

Os trancos na guia são muito perigosos e podem gerar fraturas na coluna, o que poderia causar problemas neurológicos e paralisia de membros. Existem algumas raças que possuem uma tendência maior para problemas na coluna como os Corgis, Teckels e até mesmo os Buldogues, mas não é porque seu cão não é de nenhuma dessas raças que não existe perigo.

Já fiquei sabendo, através de colegas médico veterinários, de PitBulls e Rottweilers com fraturas de coluna por trancos na guia. A maioria dos problemas acontece entre as vértebras C2 e C3, local onde fica a coleira ou enforcador na parte superior do pescoço.

A colega Dra. Mônica Veras me disse que atendeu uma Rottweiler com 11 meses de idade e com síndrome de Wobbler, causada por um estreitamento das vértebras da cervical e que foram geradas por uma série de fortes puxões na guia. Com 4 anos essa Rottweiler ficou paraplégica e foi eutanasiada.

A maioria dos casos atendidos são cães de guarda ou com problemas de comportamento e com 9 meses a 1 ano de idade. Perfil de cães que estão sendo treinados e infelizmente treinados com puxões na guia. E não pense que são só os trancos na guia que podem gerar problemas, mas andar com a guia tensionada também. A pressão constante da guia tensionada contra o pescoço do cão pode levar a um aumento da pressão intra ocular e causar sérios problemas na visão do seu cachorro ou até mesmo a exoftalmia, que é quando o olho salta para fora da órbita.

Mas se está machucando, por que então os cães não param de puxar? Pelo simples fato de que puxando eles conseguem chegar onde querem. Se o cão puxa a guia para chegar em uma árvore ou em outro cão, ele aguenta a pressão que está sendo feita em seu pescoço porque sabe que quando chegar na árvore ou no outro cachorro, essa pressão no pescoço vai parar.

cachorro-puxando-a-guia

A balança está muito mais pendente para o lado do que ele quer e consegue fazer do que para o lado da dor ou incômodo. Quem nunca viu alguém sendo literalmente arrastado pelo cão para chegar em uma árvore ou outro cachorro? Já vi casos de cães que puxam tanto a guia, que chegam a andar somente nas patas de trás porque as patas da frente estão sendo puxadas para cima junto com o pescoço pela guia.

Não dê trancos e puxões na guia do seu cão e também não deixe que ninguém faça isso!