Artigo

Racionalidade zero! Estar apaixonado faz o cérebro encolher de tamanho

Young couple kissing each other on the street while sitting on scooter on trees background on summer day

A PAIXÃO, DE FATO, LEVA AS PESSOAS A COMETEREM LOUCURAS SEM PENSAR! Isso porque, em comparação a quem está solteiro, o sentimento provoca uma ação no cérebro capaz de reduzi-lo. Acredita?

De acordo com uma pesquisa recente realizada por neurocientistas do Instituto Nacional de Ciências Fisiológicas do Japão, existe uma área do órgão nervoso chamada de CORPO ESTRIADO DORSAl, que SE TORNA MENOR EM RESPOSTA ÀS “BORBOLETAS NO ESTÔMAGO” logo no início de um namoro ou relacionamento.

Os pesquisadores acreditam que, por essa parte constituir o SISTEMA DE RECOMPENSA DO ORGANISMO (responsável pelo bem-estar e PROCESSAMENTO DOS ESTÍMULOS POSITIVOS, como comer chocolate, fazer sexo ou até usar drogas, por exemplo!), ela acaba sobrecarregada em função do estado de alegria total que caracteriza a fase romântica. Afinal de contas, um simples sorriso ao se lembrar do amado demanda um esforço da massa cinzenta para “segurar o tranco” e equilibrar suas funções e necessidades.

De qualquer maneira, ainda é preciso testar se existe alguma mudança na atividade neurológica causada por aquela que se dá estruturalmente nessa região. Aí sim haveria como relacionar o seu encolhimento com o amor. Ainda, há a hipótese de que os INDIVÍDUOS QUE APRESENTAM UMA TENDÊNCIA NATURAL A SE APAIXONAREM possam ter essa forma já minimizada.

O projeto contou com a análise de ressonâncias magnéticas de 113 voluntários, sendo que metade deles estava em uma relação desde o último mês, mais as respostas de um formulário sobre o grau de felicidade que todos estavam experimentando naquele momento.

Redação

5.379 Comentários

Clique para postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.