Destaques Polícia

Polícia divulga imagem da mulher que assassinou passageira do Move em BH

A vítima foi morta por falar alto e esbarrar na autora, que dormia em uma das poltrona do veículo. A mulher ainda não foi presa

A morte brutal e por motivos fúteis da emprega doméstica Valdete Lopes Queiroz, de 49 anos, dentro de uma linha do Move de Belo Horizonte, está sendo esclarecida pela Polícia Civil. Imagens das câmeras de segurança do veículo e do Olho Vivo, além dos depoimentos das testemunhas, ajudaram a identificar a autora do crime. Porém, somente a identificação visual da mulher. As apurações continuam para tentar encontrá-la. Já foi identificado que a passageira esfaqueou a vítima por ser acordado com a fala alta e um esbarrão. Os detalhes do caso foram divulgados nesta quinta-feira.

O crime acontece na manhã de segunda-feira no Centro de Belo Horizonte. As investigações estão sendo conduzidas pelo delegado César Duarte Mattoso, da delegacia de homicídios Centro-Sul. Por meio das imagens e de depoimentos de testemunhas, entre elas o condutor do ônibus da linha 61 (Centro/ Venda Nova), o crime foi por motivo fútil.

Polícia analisa imagens das câmeras do Move em que mulher foi morta por falar alto“A autora quando entra, ocupa parte de duas cadeiras de modo reclinado, para descansar. Em seguida, inicia um cochilo ocupando as poltronas. A vítima adentra ao ônibus de forma atabalhoada e falando. Ao se sentar, parece empurrar a perna da autora que estava cochilando no ônibus. A partir daí, as duas iniciam a discussão, de modo ríspido, como é noticiado pelas testemunhas”, contou o delegado.

Quando o veículo se aproximava da Avenida Paraná, no Centro de Belo Horizonte, segundo Mattoso, a autora pede que o motorista pare o veículo fora do ponto regular. “Ele abre as portas e neste momento a autora agride a vítima com uma facada no peito de forma surpreendente, a descarregar a sua raiva. Em seguida, foge do ônibus”. O delegado conta que as imagens do veículo flagram a vítima ainda com a lâmina cravada no peito e retirando o objeto. Valdete chegou a ser socorrida, mas morreu antes de chegar ao hospital.

Para tentar identificar a autora, a Polícia Civil divulgou as imagens dela. A mulher, segundo os primeiros levantamentos, seria de Ribeirão das Neves. “As investigações estão adiantadas. Estamos em atuação em uma possível residência desta autora, temos o Bairro Landi, próximo a Justinópolis, como a região de origem da autora. As câmeras do olho vivo já foram colhidas, já temos imagens mais que suficientes. Não temos dúvidas que essa pessoa que temos fisicamente identificada seja a autora do crime de homicídio”, disse o delegado.

Ele pede ajuda a população para tentar chegar até a mulher. “Temos a identificação visual da autora que compartilhamos com a população de Belo Horizonte e região para que a população possa identificar e ligar para o 181 e fazer uma denúncia anônima que nos permita complementar a qualificação desta autora”, pediu.

A autora vai ser indiciada por homicídio duplamente qualificada. Se condenada pode pegar de 12 a 30 anos de prisão. A Polícia Civil também adiantou que vai pedir a prisão da mulher à Justiça.

Da redação = com EM