Destaques Polícia

Polícia apreende pasta base de cocaína que teria destino à Pedro Leopoldo

Adesivos sugerem que droga pertence ao Primeiro Comando da Capital (PCC)

Droga foi encontrada em um cofre escondido na parte traseira de um veículo; um homem de 42 anos e uma jovem de 20, de São Paulo, foram presos

Cerca de 40 kg de pasta base de cocaína foram apreendidos em um veículo com placa de São Paulo no Anel Rodoviário de Belo Horizonte, na altura do bairro Vila Oeste, na região Noroeste, na noite desta sexta-feira (31). De acordo com a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), adesivos colados na droga indicam que o material pertence à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Duas pessoas foram presas.

De acordo com o sargento Warley Luiz, a droga foi descoberta durante um patrulhamento de rotina na rodovia, por volta das 22h. Policias abordaram uma caminhonete Fiat Toro, ocupada por homem de 43 anos e uma mulher de 20. O casal disse aos militares que estava vindo da capital paulista para a casa de parentes em Pedro Leopoldo, na região metropolitana, mas cada um contou versões diferentes da história.

“Nós percebemos que a história não estava batendo muito bem e resolvemos fazer uma busca mais minuciosa no carro. Encontramos vestígios de um fundo falso no carro, questionamos o condutor, e ele acabou confessando que estava levando algum material ilícito e que recebeu R$ 2.000 para fazer o transporte, mas disse que não sabia o que era. Após abrirmos o fundo falso, localizamos 30 tabletes de pasta base de cocaína pura, que daria mais ou menos 40 kg”, afirmou o policial.

Segundo ele, o material, se refinado, poderia render cerca de 400 kg de cocaína e gerar em torno de R$ 5 milhões a R$ 6 milhões. “Pela quantidade com certeza em Pedro Leopoldo a droga seria redistribuída para outras cidades, talvez da região metropolitana”, avalia.

Na droga, havia adesivos verdes com marcações pretas que, conforme a PMRv, seriam símbolos do PCC. “Os tabletes tinham marcações que são bem semelhantes às feitas em São Paulo e em algumas ramificações em outros Estados da facção criminosa. Tem uma grande possibilidade de a droga ser oriunda do PCC”, explicou.

O casal foi preso e encaminhado para a Central de Flagrantes (Ceflan) do Barreiro. O homem e a mulher não tinham passagens pela polícia. A Polícia Civil vai investigar o caso.

Da redação – com O tempo